sexta-feira, 15 de maio de 2009

O Gênero Fábula


As fábulas são pequenas histórias que transmitem uma lição de moral é uma das mais antigas formas de narrativa. As personagens das fábulas são geralmente animais, que representam tipos humanos, como o egoísta, o ingênuo, o espertalhão, o vaidoso, o mentiroso, etc.
Muitos escritores dedicaram-se às fábulas, mas três ficaram mundialmente famosos: o grego Esopo (século VI a.C.), o latino Fedro (15 a.C. - 50 d.C.) e o francês Jean de La Fontaine (1621 - 1695).
No Brasil, Monteiro Lobato (século XX) foi quem as recriou. Millôr Fernandes é um escritor carioca que recriou as antigas fábulas de Esopo e La Fontaine, de forma satírica e engraçada.
A fábula se divide em 2 partes:
1ª parte - a história (o que aconteceu)
2ª parte - a moral (o significado da história)

Leia a fábula O lobo velho de Monteiro Lobato

Adoecera o lobo e, como não pudesse caçar, curtia na cama de palha a maior fome de sua vida. Foi quando lhe apareceu a raposa.
- Bem-vinda seja, comadre! É o céu que a manda aqui. Estou morrendo de fome e se alguém não me socorre, adeus, lobo!...
- Pois espere aí que já arranjo uma rica petisqueira - respondeu a raposa com uma idéia na cabeça.
Saiu e foi para a montanha onde costumavam pastar as ovelhas. Encontrou logo uma, desgarrada.
- Viva anjinho! Que faz por aqui, tão inquieta? Está a tremer...
- É que me perdi e tremo de medo do lobo.
- Medo do lobo? Que bobagem! Pois ignora que o lobo já fez as pazes com o rebanho?
- Que me diz?
- A verdade, filha. Venho da casa dele, onde conversamos muito tempo. O pobre lobo está na agonia e arrependido da guerra que moveu às ovelhas. Pediu-me que dissesse isto a vocês e as levasse lá, todas a fim de selarem um pacto de reconciliação.
A ingênua ovelhinha pulou de alegria. Que sossego dali por diante, para ela e as demais companheiras! Que bom viver assim, sem o terror do lobo no coração!
Enternecida disse:
- Pois vou eu mesma selar o acordo.
Partiram. A raposa, à frente, conduziu-a à toca da fera. Entraram. Ao da com o lobo estirado no catre, a ovelhinha por um triz que não desmaiou de medo.
- Vamos - disse a raposa -, beije a pata do magnânimo senhor! Abrace-o, menina!
A inocente, vencendo o medo, dirigiu-se para o lobo e abraçou-o. E foi-se a ovelha!...
MORAL: "Muito padecem os bons que julgam os outros por si."

8 comentários:

  1. aff
    eu quero oke e genero fabula eu to fazendo trabalho de portugues e num kero saber oke e fabula e sim oke e genero fdp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pau no seu cú seu viado filho de uma puta arrombada e de um corno manso, vai dar o cú na esquina se não tem o que fazer. Analfabeto.

      Excluir
    2. ninguem gosta de vc entao envez de escrever um comentario asim vai ler um livro

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. Bom artigo amigo. Sou acadêmico de Letras e qualquer informação sobre os autores do gênero é de grande proveito. Att

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir